Seguidores

ESPALHO POEMAS EM SEU CAMINHO COMO FLORES PARA OFERECER-LHE MAIS BELEZA

domingo, 17 de julho de 2016

ÂNSIA








Gosto de poeira e pedra
nesta caminhada transitória
Face de suor e lágrimas,
olhar de fogo e luz
neste triste promontório...
Tudo que a outros seduz
a mim me enoja...
Quero céu, quero o infinito!
Quero luz e compreensão!
Quero um amor bendito
que me apazigue o coração.
Só peço isto da vida:
Amor e Paz!
E este caminho somente eu mesma
posso trilhar...

quinta-feira, 12 de maio de 2016

DESCOBERTA


Não quero raízes
que me prendam ao chão.
Quero ser livre e voar,
pois se tem asas o meu espírito
é porque meu destino está no alto.
Não quero que me digam 
o caminho a seguir,
pois o caminho
eu mesma o forjarei.
Não quero que me ditem leis,
pois elas estão 
na própria natureza
e moram no meu coração.
Não quero "verdades" pré-estabelecidas
e repudio todos os seus donos.
Não quero que me atem
e me matem
quado acabo de nascer...

quarta-feira, 11 de maio de 2016

REFÚGIO


Ó minh'alma,
que força é esta
que ainda faz vibrar-te
dentro do cansaço
e da dor?
Que horizonte perscrutas,
que amanhã ainda vive
dentro da tua esperança?
Não será na terra dos homens
que encontrarás teu porto,
pois no desamor
e no egoísmo
cresce a angústia,
o tédio e a solidão.
As palavras e os gestos,
então, se perdem,
as muralhas se agigantam
e se fecham os corações.
Busca, pois, em Deus
o teu refúgio.                                                                                                                                                                                                                      

terça-feira, 26 de abril de 2016

FIM


Virás, um dia,
ao meu encontro,
bem sei.
Quando o véu da morte
descer sobre mim, 
haverei, por fim,
de contemplar-Te o Rosto.
E compreenderei
toda a angústia,
toda a nostalgia
e todo o pranto
de que foi cheia a minha vida...
Compreenderei
a saudade sem nome
e o amor sem endereço
que viveram sempre
dentro de meu peito.
Encontrarei, então,
a terra de minha esperança,
a paz de meu sonho,
a razão da lembrança
que vivia em meus versos...

domingo, 24 de abril de 2016

VISÃO


Vi uma terra diferente
em que todos eram irmãos,
onde reinava o Amor,
a Paz e a Compreensão.
Uma terra sem guerras,
sem dores e misérias,
campos de rara beleza.
rios, mares, fonte, lagos,
pássaros e flores
de cores desconhecidas,
que artista algum
jamais sonhou.
O homem estava transfigurado
como Jesus no Tabor,
figura doce de anjo,
parecendo recém-saído
das mãos do Criador!

pintura de Van Gogh

sexta-feira, 22 de abril de 2016

MUSA TRISTE

Enquanto houver amor e saudade,
alegria e esperança,
chuva, estrela, praia, areia,
pássaro, flor e criança,
sempre haverá canto.
Enquanto houver em mim
um único sopro de vida,
haverei de fazer versos.
E, enquanto houver
criança chorando
e países em guerra,
meus versos serão tristes...

quarta-feira, 13 de abril de 2016

DESENCANTO


Perdi-me no oceano
de minhas próprias emoções 
sem jamais encontrar um porto
no cais seguro da razão.
Naveguei por mares estranhos
e fui dar a praias desertas
que fizeram crescer minha solidão...
Ameaçada por tempestades,
fustigada pelos ventos,
pela água, pelo sal,
quedei-me, por fim, inerte
nos recessos de meu coração.
E o meu cansaço
e o meu desencanto 
tornaram-se versos
cheios de pranto...
                                                                                                           

quinta-feira, 7 de abril de 2016

OUTONO


Mais um outono chegou
e como as folhas mortas
minha vida se esvai...
Vão-se embora os sonhos,
as esperanças, utopias e ais...
Mas, ficam comigo as lembranças
de outros outonos felizes
em que sonhos eram tecidos.
Mora comigo a saudade,
e, também, afetos antigos,
tão ternos e eternos...
Como a terra esconde
os brotos vindouros,
meu coração fecunda
novas sementes de alegria...
As folhas caem uma a uma...
E a árvore permanece,
bela e altaneira,
dando sombra ao caminhante cansado
que, pelos caminhos da vida,
também é passageiro...

ESTATURA


Na poeira do cosmos
o meu planeta,
plasmado nos séculos,
cadinho de dor,
trabalha silente
em circunvoluções.
Palco humilde
de nossas vidas,
instrumento precioso
de nosso trabalho,
guarda em seu seio
o toque carinhoso
de mãos Divinas.
Intriga, encanta e deslumbra
aquele que foi gerado pelo amor,
fagulha minúscula
da Eterna Fogueira,
Que, em seu orgulho,
se julga senhor!

quarta-feira, 6 de abril de 2016

CAMINHOS


Estranhos caminhos os meus,
pesado este amor,
pesada esta dor, 
este desejo de eternidade e paz!...
Para onde me levas, caminho?
A que pátria, a que coração?
Que encontrarei, por fim?
Não me assustam estes caminhos estranhos,
esta dor, estes rostos que não conheço...
Lá fora, lá adiante,
sei lá,
há um jardim à minha espera.
Eu hei de chegar,
breve estarei lá!...

quarta-feira, 9 de março de 2016

LOUCURA DA CRIAÇÃO



Musa que me visita.
Em noites de desencanto,
Serás apenas o delírio
De um psiquismo doente?
Tu que despertas em mim
Emoções sempre novas
E me descortinas
Horizontes nunca vistos;
Tu que és os óculos coloridos
Através do qual eu vejo a vida;
Tu que és amor, saudade e pranto,
Serás apenas o produto
De um elemento da mente
Semelhante à mescalina?
Acaso não serei nada, nem ninguém,
Senão sangue, nervos e pó?
Não terei em mim uma alma,
Que anseia, ama e lamenta,
Que é o sopro do Criador?
Ou não existe Deus nem nada
E não serei poeta,
Mas apenas louca?!...



quarta-feira, 2 de março de 2016

CADEIAS


Não vês que teus desejos
são cadeias que te prendem
ao chão?
Não vês que teus sonhos
todos hão de dissipar-se
quando a sombra da morte
rondar teu caminho?
Não vês que as traças
hão de roer teus vis tesouros?
E que terás que deixar 
para os vermes
a tua carcaça?
Não vês que o único bem
vive na terra fecunda
de teu coração?
E que cativo
jamais poderás voar
rumo às estrelas?

domingo, 21 de fevereiro de 2016

POETA DE VERDADE




Para ser poeta de verdade
é preciso um bocado de amor
e também de paixão,
uma pitada de sutileza
e até mesmo de tristeza.

Poesia não combina
com a tal felicidade
e arroubos de alegria.
A verdadeira poesia
tem um cadinho de dor,
muita realidade,
alguma imaginação
e bastante filosofia.

A poesia não nasce
em qualquer terreno
que nem erva-daninha.
É preciso adubar a terra
com bastante carinho.

O poeta tem que ser,
na verdade, um esteta
e até fazer exegese 
do canto dos passarinhos
e da conversa das estrelas.

Precisa estar na escuta
dos gritos do silêncio,
sondar muitos abismos
e escorregar por desvãos
da alma humana e da solidão.

Poeta tem que navegar
por mares de fantasia,
conhecer da língua o palavreado
e ter uma certa disritmia.
Deve acalentar sonhos,
esperanças e utopias.

Ter alma de criança
e sopros de esperança.
Tem que entrar por labirintos
e fazer da vida um bailado.

Tem que ter espírito vadio
e beliscar suspiros da noite.
Deve virar-se ao avesso,
ter raios de espanto,
filosofando em 
volteios da ventania.

domingo, 7 de fevereiro de 2016

MURALHAS


São altas as muralhas
de teu próprio ser.
Se não as transpões
e se te moves no chão 
serás nada mais que verme.
Mas, se alças voo,
serás mais que homem,
anjo liberto,
senhor da vida,
do espaço,
do tempo.
Além de tuas muralhas
está o infinito.
Além de ti
está o outro
que te espera!...

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

FLUXO E REFLUXO


Não é diferente a vida
que vivemos todos nós...
Os sulcos dos caminhos
que deixaram os que se foram
servem sempre de rota
aos que vêm depois...
Voltam árvores
sempre podadas,
são brotos novos
desabrochados.
Nascer, crescer,
e, um dia, morrer
para que outros
possam viver!...

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

CANTIGA DE ESPERA


Doce perfil de criança,
que se desenha em meu espírito,
és  a mais cara esperança
de um sonho já vivido.
Antes que tua forma se faça
no íntimo de minhas entranhas,
tu já vives soberana,
dentro de meu coração.
Já te vejo correndo,
serelepe pela vida,
com a alma cheia de sonhos,
ignorando que tu mesma
foste o sonho mais querido
de tua pobre mãe!

MEU LIVRO DE POESIA

MEU LIVRO DE POESIA
MEU LIVRO DE POESIA