Seguidores

ESPALHO POEMAS EM SEU CAMINHO COMO FLORES PARA OFERECER-LHE MAIS BELEZA

sexta-feira, 30 de março de 2012

NOITE TRISTE



Noite sombria,
Sem lua ou estrelas.
O vento canta lá fora
como o lamento de um canário
Que perdeu a companheira...
O canto do vento traz sussurros
De tempos vividos,
De eras desconhecidas...
Ó, noite, abre o teu manto,
Mostra tua abóbada iluminada
Para que meu triste coração
Possa aportar de novo na alegria!...

segunda-feira, 26 de março de 2012

SEREI EU?...



Quem sou eu?...
Essa alma triste,
Esse silêncio profundo,
Essa gargalhada
Ou apenas um chiste?...
Serei eu o pássaro na noite,
Perdido em sua busca e seu canto?
Serei essa explosão,
esse terno coração?...
Serei alguém de outro planeta,
Vivendo em um estranho mundo?...
Serei eu esse lamento
Ou essa mulher tão amada,
Vivendo o exílio do esquecimento?...

quarta-feira, 21 de março de 2012

SOU ASSIM...



Amor, não sei se tu sabes
Que sou vento e canção,
Outono e primavera,
Lua e sol,
Dia e noite,
Metrópole e sertão...
Tenho a doçura do mel,
A tessitura dos sonhos,
A fragilidade do cristal.
Sou chuva fina
Que traz paz à alma.
E uma fertilidade tal
À terra que espera a semente.
Sou graça e simplicidade
Afoita na busca da felicidade.
Sou braços abertos
Sedenta de afeto!
Vem, amor!
Mata esta sede
e me deixa morrer em teu peito
De uma ardente paixão!...

segunda-feira, 19 de março de 2012

O SILÊNCIO DA PALAVRA


Uma palavra:
É o que eu queria...
Apenas uma
Que pudesse expressar
O universo dentro de mim...
Uma só palavra
Para a dor e o amor,
A beleza e a poesia,
A tristeza e a morte,
O crepúsculo e a alvorada...
Uma só palavra
E tudo eu diria...
Mas não posso encontrá-la...
Como colocar o infinito
No finito?
Pobres daqueles que lidam
Com as palavras!
Elas são tão restritivas...
Uma só palavra
Pra dizer de um coração
Despedaçado
Ou da saudade,
Doença dos enamorados...
Onde posso encontrar
Essa palavra mágica
Para que tanto sentimento
Não fique em mim
Tão sufocado?!
A carícia e o olhar,
A pintura e a música,
O silêncio – quem sabe –
Talvez possam expressar
O que palavra alguma
Consegue alcançar...

domingo, 11 de março de 2012

TRISTE SINA


Neste fim de tarde
O fogo queima
E nas veias arde
Um amor que teima
em me torturar.
O corpo já caído
nada sabe do tempo
ainda clama por teu toque
Que me fazia gemer
Como gata no cio...
Ah, tempo inclemente,
Ah, caminho tão longo,
Ah vida sem pena!...
Hoje, triste,
só fico a recordar
E a pensar que jamais
voltarei a te encontrar.
Nunca outras mãos
Haverão de meu corpo tocar
pois sei que não hão de saber
afagar-me como tu
e nunca de mim outro grito
sairá da garganta trêmula
do prazer que somente tu
sabias me dar...
Ouves o canto da cotovia, amor?
No mundo já amanhece
e dentro de mim
Esta noite vazia
que teima em jamais terminar...

domingo, 4 de março de 2012

OS SONHADORES



Como apagar a vergonha
da tirania?
Como esquecer Auschwitz,
o massacre na Praça da Paz Celestial.
o povo russo em cima dos tanques,
clamando pela Democracia
e a noite funérea
da Inquisição?
No instante cruel
da guerra e da perseguição,
o ódio envenena,
oprime e estrangula.
A dor do mundo soluça
em profunda agonia...
Mas o Anjo sem nome
e o Pássaro da Alegria
embriagam do Sol
a alma dos gigantes alados,
que enxergam muito além
das estrelas,
dos montes,
dos horizontes...
Com suas asas vigorosas,
eles sopram a aragem da terra,
inflando de Esperança
o coração dos homens...
São eles que destroem
a imagem do espanto,
a besta feroz
e voraz da opressão...
Em sua solidão profunda,
doída,
soluçante e radiante,
eles são agredidos e feridos
por aqueles a quem defendem...
Mas, ainda assim,
eles ousam,
caminham
e voam...
Benditos sejam!

MEU LIVRO DE POESIA

MEU LIVRO DE POESIA
MEU LIVRO DE POESIA