Seguidores

ESPALHO POEMAS EM SEU CAMINHO COMO FLORES PARA OFERECER-LHE MAIS BELEZA

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

DOR DO FIM...



No silêncio da noite,
Como o piar solitário de um pássaro,
Chora uma alma sentida
A saudade que, como açoite,
Fere-lhe o peito doído.
Que ladrão é este
A que chamam de tempo,
Nos roubando seres queridos
E, além disso, a mocidade?...
Ah, dias de intensa alegria,
Ah, momentos de suprema felicidade!...
Dentro e fora de mim,
Somente as trevas da solidão
A chicotear-me.
Minh’alma caminha vadia
Pelos dias de outrora...
Hoje, no entardecer,
Que a noite anuncia,
Choro sobre a tumba triste
Este inexorável fim,
Punhal cravado em meu coração...

sábado, 18 de fevereiro de 2012

A FESTA DO AMOR


Vou por aí
de peito aberto
Com o vento a acariciar-me
E o cheiro da maresia
A penetrar-me o ser.
Vou sozinha
A pensar num louco amor
E sonhar com sua presença
A confortar-me.
Desejo os seus beijos
E o calor do seu corpo
A loucura da paixão
A arder em nós dois.
Desejo a poesia
De noites estreladas
E lua cheia
Desejo aninhar-me
Em seus braços ternos
E descobrir um novo tempo
Talvez até outro universo
Onde o amor não morreu.
Desejo tempos de serenata
E dançar colada
Em seu corpo
Sentindo a rigidez de seu desejo
Desejo resgatar
A alegria de poder
Festejar a vida
Bailando em seus braços...

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

VIDA



Aos tropeços pela vida tenho vindo,
Colhendo flores, pedras e espinhos...
Vivendo dias de amargura,
Noites de tempestade
E tempos de ventura...
Tenho amado e sido amada
E, muitas vezes, vibro deslumbrada
Já, outras, estou deveras cansada...
Às vezes pulo de anseio de viver,
Outras me encolho
No anelo de morrer...
Vida é beleza e tristeza,
Fé e descrença,
Desespero e esperança,
Certezas e dúvidas,
Chuva, sol, trevas e frio.
Sempre na corda-bamba,
Na navalha por um fio...
Vida que te amo,
Vida que te quero!
Tantas vezes te vomito...
Corres em meu sangue,
Dás cores ao meu grito.
Tu te tornas poesia
E palavras sem sentido
Naquilo que tenho escrito...
A gente vive, goza e sofre
E tenta jogar tudo em palavras,
Sons, formas e cores...
Mas Vida é coisa sem jeito
De tudo se aproveita,
Mas dela pouco sabemos
E ela vai me deixando
Sem saber se algo dela aprendi...

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

O AMOR QUE NÃO ESQUECI...


Você chegou assim de repente
Com olhar tão quente
E palavras de amor...
Como se tivesse em sonhos
Me conhecido...
Ao sentir seu toque,
Meu coração chorou
Antevendo a despedida
Que fatalmente chegou.
E eu segui a vida,
Com um frio dentro de mim,
Lembrando com saudade
Aquele amor
Que nunca pude esquecer
Vivo como sombra
De mim mesma
Andando ao léu,
A lembrar seus beijos
Que um dia
Me mostraram o céu...
Quando o avião indiferente
A terra deixou
Meu peito em sangue
Se rasgou...
E um grito rouco
Clamou a dor
Que ninguém
Jamais escutou...
Talvez, hoje, você,
Assim como eu,
Perambule pelas estradas da vida
Indigente de um amor,
Cristal trincado
Pela saudade
Perdido na neblina
Do frio e impiedoso tempo
Que tudo carregou...

MEU LIVRO DE POESIA

MEU LIVRO DE POESIA
MEU LIVRO DE POESIA