Seguidores

ESPALHO POEMAS EM SEU CAMINHO COMO FLORES PARA OFERECER-LHE MAIS BELEZA

segunda-feira, 23 de julho de 2012

DESTINO DE PENÉLOPE




Eu sei que tu vives                                               
E as horas da vida                                                
Se arrastam entre nós...                                       
E dói-me o tempo                                                
Que ainda me separa de ti.                                                                                               Tu vives...
Em algum lugar                                                       
Onde não estou,                                                        
Tu te moves,                                                                
Respiras, pensas...
Entretanto, talvez em sonhos,                                 
Ou desperto, nesta mesma noite,                              
Tu pressintas meu pensamento                                
Que se aproxima...
É bem viva a saudade                                                 
Que em meu peito                                                          
Bate no mesmo compasso

Do teu...
Tu vives e esperas,                                                         
Assim como eu...
Para ser tua é que nasci.
De pés descalços tenho vivido,                                    
Desalentos e cansaços,                                                  
Neste mundo ermo de amor,                                         
Deserto de piedade,                                                         
Sombra e encanto...                                                           
Prisioneiros da matéria,                                                  
Temos que recriar a Vida...                                             
Ah, amor,                                                                             
Serás a metade de mim?...


Eu vivo.
Tu vives                                                                        
E sei que sofres... 
Tu vives e me chamas...                                                                        
Na cadência de soluços e gritos.                                   
Luz e espanto,                                                                    
Dor e pranto...                                                                  
Reféns da eternidade,                                                      
Ou apenas um delírio
de minha pobre mente?...                        
                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                          
                                                                                                                                                          



 

sábado, 14 de julho de 2012

AMOR VERDADEIRO





Pelo caminho cansada,
De seus carinhos e cuidados
Fico a lembrar-me saudosa.
Nossa vida foi bordada
Por tanta beleza e poesia
Mas um destino ingrato
Deixou-me assim sozinha...

Quando chega a madrugada
No peito bate a saudade
E procuro em vão ao meu lado
O seu corpo tão amado...

Choro por coisas que não vivemos
Porque o tempo foi curto
E a mão da morte impiedosa
Levou-me teu lindo sorriso
E colocou-me em verdadeiro surto
Suspirando pelas noites...
Num grito rouco e infindo...

Ah, amor, tão belo era o nosso ninho
Com a doçura de nossa filha amada,
Que enfeitava os nossos dias
E alegrava nossa caminhada!

Não a viste, porém, crescer,
Tornar-se uma linda mulher
Tão cheia de encantos!
Não tiveste a felicidade
Só a mim reservada
De ter no colo a neta tão desejada!

Sei, porém, que noutras paragens
Tu ainda esperas por mim
Pois paixões foram tantas,
Mas amor só tivemos um...


MEU LIVRO DE POESIA

MEU LIVRO DE POESIA
MEU LIVRO DE POESIA