Seguidores

ESPALHO POEMAS EM SEU CAMINHO COMO FLORES PARA OFERECER-LHE MAIS BELEZA

domingo, 21 de fevereiro de 2016

POETA DE VERDADE




Para ser poeta de verdade
é preciso um bocado de amor
e também de paixão,
uma pitada de sutileza
e até mesmo de tristeza.

Poesia não combina
com a tal felicidade
e arroubos de alegria.
A verdadeira poesia
tem um cadinho de dor,
muita realidade,
alguma imaginação
e bastante filosofia.

A poesia não nasce
em qualquer terreno
que nem erva-daninha.
É preciso adubar a terra
com bastante carinho.

O poeta tem que ser,
na verdade, um esteta
e até fazer exegese 
do canto dos passarinhos
e da conversa das estrelas.

Precisa estar na escuta
dos gritos do silêncio,
sondar muitos abismos
e escorregar por desvãos
da alma humana e da solidão.

Poeta tem que navegar
por mares de fantasia,
conhecer da língua o palavreado
e ter uma certa disritmia.
Deve acalentar sonhos,
esperanças e utopias.

Ter alma de criança
e sopros de esperança.
Tem que entrar por labirintos
e fazer da vida um bailado.

Tem que ter espírito vadio
e beliscar suspiros da noite.
Deve virar-se ao avesso,
ter raios de espanto,
filosofando em 
volteios da ventania.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MEU LIVRO DE POESIA

MEU LIVRO DE POESIA
MEU LIVRO DE POESIA