Seguidores

ESPALHO POEMAS EM SEU CAMINHO COMO FLORES PARA OFERECER-LHE MAIS BELEZA

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

MUSA




 Que fazes aqui, musa da noite,
Perturbando o meu sono
E me levando de volta ao passado?
Acaso não sabes 
ser a saudade um açoite
Que me fere a alma 
de modo tão profundo?
Sempre que me visitas,
Minh’alma põe-se a chorar,
Pois a volta é um caminho sofrido,
Que me obrigas a percorrer...
Não te quero mais, ó musa,
Pois à frente necessito andar...
Abro mão da poesia
Para poder sobreviver...
Não te sintas por mim ofendida,
Ó musa tão amada!
É que meu ser tão ferido
Já não pode agüentar
A dor de tanta saudade

E de tanto amanhecer...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MEU LIVRO DE POESIA

MEU LIVRO DE POESIA
MEU LIVRO DE POESIA